Jogador Juninho teria encomendado fim na vida de desafeto

Nesta quinta (9), o Corinthians desistiu oficialmente da contratação do atacante Juninho, que foi indiciado por ameaçar e agredir sua ex-noiva, após a repercussão negativa dentro de sua torcida. Mas segundo o UOL Esporte, o processo ainda tem outra acusação grave, a de encomendar a morte de um desafeto.

O motorista de Juninho da época em que ele foi preso, José Luiz Ferreira Júnior, deu um depoimento à polícia dizendo que o atacante tinha encomendado a morte de um desafeto por R$ 2 mil.

mco_6374

De acordo com o relato, Juninho e Dhalia estavam separados e a mulher até tinha conseguido uma medida protetiva contra o ex-companheiro, mas eles se encontraram em uma festa e ele a convenceu a ir até sua casa buscar roupas desde que uma terceira pessoa fosse com eles.

Quando eles desceram do carro, Juninho deu um tapa na ex-companheira, mas ela aceitou subir ao apartamento para ter relações. Depois disso, ele pegou o celular dela e viu mensagens de um amigo de Dhalia, de quem o atleta ficou com o ciúme.

whatsapp_image_2018-08-09_at_15.03.53

Foi aí que o jogador mandou uma mensagem para o seu motorista encomendando a morte do amigo de Dhalia, oferecendo mil reais para o declarante e mil para quem cometesse o assassinato. O motorista ainda confirmou que recebeu uma foto do amigo de Dhalia.

Ainda de acordo com o UOL Esporte, não foi aberto inquérito sobre a denúncia porque o amigo de Dhalia não prestou queixa. Mas não é claro se ele sabia ou não da encomenda de sua morte.

Allyson Souza

Publicitário, 25 anos.