Arquiteto avisou ao MPF que museu sofreria um incêndio um mês antes

Um arquiteto, cujo nome é mantido em sigilo, fez ao MPF (Ministério Público Federal) do Rio de Janeiro uma denúncia de que havia risco de incêndio no Museu Nacional. O relato foi feito em julho deste ano, ou seja, 37 dias antes de um incêndio real destruir o acervo do prédio histórico. No documento, o denunciante informava que era “urgente” a vistoria no local: “Principalmente, no terceiro andar, para que se dê ciência à sociedade carioca e brasileira da real dimensão do risco quie corre seu patrimônio.”, explicou na representação.

As informações foram recebidas pelo procurador da República Antonio Augusto Soares Canedo Neto, que pediu explicações à UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), responsável pela gestão do Museu Nacional, que foi procurada para explicar por que demorou a responder ao MPF. Até o momento dessa reportagem, não se pronunciaram.

Confira mais em: