Atual hétero, Ronaldo Ésper diz que só era gay por causa de maldição

Frequentador assíduo da Igreja Universal, o estilista Ronaldo Ésper participou do programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, nesta semana e soltou comentários ácidos sobre suas crenças acerca de homossexuais.

Considerado “ex-gay” desde 2017, o profissional da moda se orgulha em dizer que deixou seu passado “amaldiçoado” para trás.

“Eu acho que a minha fé atual, a da Universal, eles têm várias explicações”, declarou sobre o fato de as pessoas nascerem gays. “Uma delas é que você traz isso de família, é hereditário. Eles consideram isso como uma maldição”, argumentou.

Ésper garantiu ter sido azarado pela própria tia e, portanto, passado a vida inteira incluído na comunidade LGBT. “Você pode ser amaldiçoado por alguém. Eu fui amaldiçoado por uma tia minha quando eu era criança.”, afirmou.

“Cientificamente, não se sabe direito como isso vem. Tudo é controlável, você querendo, você deixa”, frisou o estilista, acrescentando: “Eu passei a vida toda homossexual e eu não gostava”. O artista também reviveu seus primeiros dias na Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

Após ter pisado a primeira vez no local sagrado, Ésper sentiu que precisava voltar. “Eu fui interpretando as coisas que eles falam e cheguei á conclusão de que era melhor me abster [sua condição como gay]”, contou.

Comments

comments

Allyson Souza

Publicitário, 25 anos.